Marvel

Produtor de Echo, a primeira série Marvel Spotlight, destaca a busca por superar limites na televisão

Compartilhar:

Após a conclusão do primeiro grande arco do Universo Cinematográfico da Marvel (MCU) com “Vingadores: Ultimato“, a Marvel optou por investir em séries de TV.

Algumas delas, como “Loki” e “WandaVision“, obtiveram sucesso, enquanto outras, como “O Falcão e o Soldado Invernal“, “Cavaleiro da Lua” e “Gavião Arqueiro“, não tiveram o mesmo impacto.

No entanto, mesmo não sendo uma das produções mais destacadas, a série estrelada por Jeremy Renner e Hailee Steinfeld, “Gavião Arqueiro“, foi considerada decente e abriu caminho para “Echo“, a primeira produção Marvel Spotlight.

Esta nova série destaca uma das capangas do Rei do Crime em uma trama independente dos eventos contínuos e multiversos do MCU.

Créditos: Disney/Divulgação

As séries de TV Marvel Spotlight apresentam histórias urbanas que não exigem que o espectador acompanhe toda a continuidade do MCU. “Echo” é a primeira a estrear sob essa nova marca, tendo Maya Lopez, interpretada por Alaqua Cox, como protagonista.

A trama se desenrola após os eventos de “Gavião Arqueiro” e explora as consequências da traição de Maya ao Rei do Crime, interpretado por Vincent D’Onofrio.

Em uma entrevista concedida ao IGN Brasil, Brad Winderbaum, produtor de “Echo“, compartilhou suas perspectivas sobre a série.

“Queremos continuar ultrapassando barreiras, e a TV é o lugar certo.”

Atualmente, o MCU possui uma extensa lista de produções que se entrelaçam devido ao vasto universo compartilhado. No entanto, com a introdução do Marvel Spotlight, a ênfase pode ser dada a histórias mais contidas, afastando-se de seres superpoderosos capazes de destruir planetas.

Echo” explora um mundo mais restrito, com uma temática de espionagem, trazendo inovações para o universo cinematográfico. Ao ser questionado sobre a contribuição da série para o enredo geral, Winderbaum afirmou:

“Sabemos que temos 15/16 anos de história agora. Isso ultrapassa as expectativas. Consideramos algo como ‘Guardiões da Galáxia‘ como garantido, mas na época, uma árvore, um guaxinim e uma comédia espacial com uma trilha sonora de rock clássico eram tão desequilibrados quanto o que as pessoas pensavam que um filme da Marvel poderia ser.

Até mesmo um filme como ‘Capitão América 2: Soldado Invernal‘, uma trama sombria de espionagem que coloca nosso personagem em uma área ética cinzenta, foi visto como uma direção única para levar esse personagem. À medida que avançamos, queremos continuar ultrapassando esses limites, e a televisão é um ótimo lugar para fazer isso.”

“É um meio muito libertador, e contar histórias dessa forma mais longa nos permite explorar essas áreas cinzentas e ultrapassar os limites. Com uma personagem como Maya Lopez, ela nos leva a um canto mais maduro e violento do universo Marvel, algo que acreditamos que o público anseia e apreciaria”, concluiu Winderbaum.

Além de optar por uma trama mais contida, “Echo” apresenta cenas de ação mais realistas, afastando-se de poderes cósmicos. As coreografias de luta da série podem atrair os fãs de confrontos físicos.

Uma cena impressionante ocorre em um trem em movimento, onde Maya executa um plano para frustrar as ações do Rei do Crime. Winderbaum compartilhou os desafios de produzir esse tipo de cena:

Créditos: Disney/Divulgação

“Essa cena foi idealizada pela nossa diretora, Sydney Freeland, e é incrível. É preciso compreender a física dos trens e como eles operam. Também é um teste para o nosso Departamento de Efeitos Visuais, pois é uma cena muito realista para algo que pode parecer falso.

Todas as artes marciais, acrobacias e dublês são reais. Os trens em si são reais. Portanto, é tátil. Em um momento, Maya está com a perna presa em um acoplador, em outro ela está pulando de trem em trem, e você sente esses impactos e papéis.”

Como mencionado anteriormente, “Echo” dispensa os poderes clássicos e ameaças intergalácticas presentes nos filmes principais, optando por uma abordagem mais urbana, com referências aos cenários criminais de Nova York presentes nos quadrinhos de personagens urbanos como Homem-Aranha e Demolidor.

Winderbaum, que trabalhou em filmes como “Thor: Ragnarök” e sua sequência, “Amor e Trovão“, destacou a diferença ao criar algo mais pé-no-chão que não envolve poderes extravagantes como os do deus do trovão.

Viúva Negra“, por exemplo, tem grandes cenas de ação. Existem pessoas capazes de coisas incríveis, mas é a emoção entre os personagens, cenas dramáticas e a jornada que Maya segue que a mantém fundamentada.

Ela fará coisas incríveis devido ao treinamento em artes marciais, mesmo sem superpoderes como Thor, afinal, ela é uma personagem da Marvel. Quando ela se reconcilia com sua família, enfrenta seu próprio trauma e defende suas crenças, esses são os elementos fundamentais da série.”

Se você está ansioso por uma série de ação e espionagem com personagens da Marvel, procurando algo mais contido sem incursões pelo multiverso, “Echo” estará disponível no Disney+ a partir de 9 de janeiro de 2024.

Dan

administrator
Um entusiasta do mundo nerd, apaixonado por animes e programação.